Públio Aélio Adriano [ Pvblivs Aelivs Hadrianvs] (76 - 138)



Terceiro imperador romano (117-138) da dinastia dos antoninos, nascido em Itálica, Bética, hoje na Espanha, um dos mais importantes da história romana: adotou muitas leis de cunho social e valorizou a posse produtiva da terra junto aos agricultores. Filho de Públio Aélio Adriano e Domicia Paulina, tornou-se um homem culto, amante das artes e do direito, e como tribuno da II Legião, distinguiu-se em sucessivas campanhas militares empreendidas por seu tio e antecessor, o imperador Trajano. Foi nomeado chefe do exército e governador da Síria antes de ser adotado por Trajano, a quem sucedeu (117) após o falecimento do imperador. Em seu governo empenhou-se em reforçar a unidade do império e garantir sua prosperidade. Incentivou as relações entre as províncias do império e aboliu a subordinação das províncias à metrópole e criou uma federação de cidades gregas, denominada Panhellenium. Contribuiu ativamente para a consolidação do direito romano, a cidadania e a liberdade religiosa. Estendeu o direito do Lácio às províncias, abrandou as leis que regiam a escravidão e encomendou a Salvius Julianus a elaboração do Edictum Perpetuum, obra que serviria de ponto de partida para toda a literatura jurídica desde então. Reestruturou o conselho imperial, reformou a legislação e organizou os diferentes setores da vida pública. Para garantir a presença romana em todo o império, fez constantes viagens como soberano romano, por todo o Império. Esteve na Bretanha, onde mandou construir uma imensa linha fortificada conhecida como Muralha de Adriano. Foi três vezes à Grécia, onde concluiu a construção do templo de Zeus Olímpico, iniciada pelos Psistratos cinco séculos antes. Construiu oa famoso edifício do Panteão e reuniu um grande número de obras de arte e nos últimos anos de seu reinado, permaneceu em Roma. Governou com mais severidade e proporcionou ao império um período de esplendor, realizando um governo onde a engenharia romana atingiu o seu auge, sendo ele próprio um grande arquiteto e projetista de edifícios com cúpulas. Adotou Arrio Antonino, (138) que lhe sucedeu no trono com o nome de Antonino Pio. Morreu em 10 de julho desse mesmo ano em Baias, Itália, e foi sepultado no magnífico mausoléu que mandara construir em Roma, hoje conhecido como Castelo de Sant'Angelo.

http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/PubliAdr.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário