Ordem da Imaculada Conceição


D. Beatriz da Silva nasceu em Campo Maior, Portugal, filha de Rui Gomes da Silva, alcaide da vila, e D. Isabel de Meneses, esta última aparentada com as casas reais de Espanha e Portugal.
Ao unir-se em segundas núpcias o Rei João II de Castela com D. Isabel de Portugal, é nessa altura que chega à corte castelhana a nobre D. Beatriz para ser a dama de honor da nova Rainha de Castela.

Segundo a tradição, D. Beatriz teve uma aparição em que Santíssima Virgem Maria que lhe confiou o desejo de fundar uma ordem consagrada ao culto e à sua honra da Imaculada Concepção de Maria. Nesse momento, D. Beatriz saiu da corte e refugiou-se no Mosteiro das Irmãs Dominicanas de Toledo, vivendo 30 anos em ambiente religioso, apesar não ser na altura freira. A Rainha D. Isabel, a Católica, filha da referida Infanta D. Isabel de Portugal, Rainha de Castela, a que foi dama Beatriz e a ajudou muito na fundação da nova Ordem, doou-lhe o Palácio de Galiana em Toledo e facilitou-lhe também as negociações com a Santa Sé.

D. Beatriz da Silva, então religiosa, começou sua nova vida contemplativa com doze companheiras. A Ordem da Imaculada Conceição foi aprovada pelo Papa Inocêncio VIII no dia 30 de Abril de 1489, com direito ao uso de hábito religioso e outros usos próprios.

No ano de 1492, na sua cama, doente e vestida com o seu hábito religioso, faleceu a fundadora da Ordem da Imaculada Conceição. Isso fez com que, a partir desse momento, com o seu desaparecimento e orientação, a Ordem tenha ficado desprotegida.
Esta Ordem religiosa não nasceu franciscana, apesar de logo se notar a sua grande influência desde o início, e foi com as reformas levadas a cabo pelo Cardenal Cisneros em que Igreja Católica espanhola determinou que a mesma ficasse sobre a regra de São Francisco de Assis. Desse modo, esta passou também a estar relacionada com os franciscanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário