PLATONISMO CRISTÃO? QUE PLATONISMO?


 Miguel Spinelli, Boletim do CPA, Campinas, nº 15, jan./jun. 2003

1 - Intróito

1. a - O que dizer do Platonismo na medida em que lhe foi sobreposto
o adjetivo cristão? Foi a partir do século II, por obra de helenistas
convertidos ao Cristianismo, que se deu esse tipo de sobreposição. Ela foi
feita sobretudo em função de dois objetivos: um, dar à doutrina cristã um
status filosófico; outro, transformá-la numa doutrina plenamente aceita pelos
intelectuais (ou seja, helenistas) da época.

Ao recorrer à Filosofia, os novos helenistas convertidos – tais como
Justino, Tertuliano, Clemente de Alexadria, Orígenes, Gregório de Nazianzo
(objeto de estudo deste artigo) , Basílio e Gregório de Nissa 1

evidenciaram várias "convergências" entre a doutrina cristã e as doutrinas
filosóficas. Foi por causa dessas supostas convergências que eles se viram
impulsionados a se adentrar ainda mais no território filosófico. Em geral, eles
se serviram bem mais de Platão do que de Aristóteles. A recorrência a
Aristóteles se deu sobretudo pelo fato de eles terem encontrado na lógica
aristotélica uma porta de acesso para a "teologia" de Platão. Direta ou
indiretamente, eles encontraram em Platão e em Aristóteles inúmeras
asserções que lhes pareceram úteis. Muitas delas (comumente aceitas na
discussão filosófica) foram simplesmente por eles amputadas dos contextos
filosóficos originários, e, por vezes, dogmatizadas... O resultado foi uma
mescla de Filosofia e de pregação religiosa, cuja tendência foi a de substituir
a convicção racional pela fé, a retórica pela autoridade, os princípios racionais
pelo dogma, até que o discurso do eclesiástico se transformasse numa fala
autoritária... O que se deu, a bem da verdade, foi uma subversão de
conceitos, de modo que, o que era tido como Filosofia, pouco a pouco se
converteu em Religião...

1. b – Posto esse ponto de vista, Gregório de Nazianzo (330-390),
dentre os doutrinadores cristãos, pode ser visto como um dos que mais se
dedicou a esse tipo de subversão. Ele viveu no século IV, na região da
chamada Capadócia (na Ásia Menor, em território que hoje pertence à
Turquia). Ele também é tido como "grego", mas isso se deve, além da
educação helenística que recebeu, ao cultivo da língua e da cultura grega...
Duas observações, uma a respeito do nome "Gregório", outra, quanto
ao termo "teologia". Em relação ao nome "Gregório", a sua recorrência se
explica pela sua derivação – de egrêgora, que tinha o sentido de estou
acordado ou estou vigilante. Foi por isso, ou seja, pelo fato de designar o

Um comentário:

  1. O quer dizer a expressão Verdade Filosófica? Para alguns nada, mas para outros que não sabem hebraico nem estiveram junto com os judeus até a Noite em que Jesus nasceu finalizando a Época que nós podemos chamar de Antiguidade, a Verdade Filosófica quer dizer o mesmo que a Verdade Religiosa, ou seja Jesus Cristo Filho de Deus. Platão e o Rei Filósofo Sócrates conheceram essa Verdade muitos antes que os sofistas da modernidade sonhassem em nascer. Logos eu não hesitaria nem um pouco em afirmar que Sócrates e Platão foram dois dos 144.000 Escolhidos de Deus para serem salvos no Apocalipse de São João e os sofistas que discordaram deles onde será que foram parar? A Filosofia daqueles dois é a mesma de São João pois concordaram plenamente com o Verso: "A Luz nas trevas resplandece". A Luz da Verdade Filosófica também resplandecerá dentro da caverna em trevas.

    ResponderExcluir