Marcvs Avrelivs Severvs Alexander, Marco Aurélio Alexandre Severo (209 - 235)



 Nascido em Roma, o último monarca da dinastia dos Severos. Filho de Julia Mamaea e Gessius Marcianus e neto de Julia Maesa, irmã de Julia Domna. Como resultado das maquinações da avó, foi adotado (221) como seu filho e herdeiro por seu primo o imperador Heliogabalus e, como este, também era considerado filho bastardo de Caracalla. Tornou-se imperador com apenas 13 anos de idade (222) substituindo Heliogábalus, após este ser morto pelos soldados revoltados ao descobrirem as intenções do imperador em tentar assassinar seu jovem primo, que era muito querido entre eles. Apesar da pouca idade, o Senado lhe concedeu o título de Pater Patriae, o Pai da Pátria, por se livrarem do antecessor e por temor e respeito as poderosas legiões romanas que estavam do lado do novo soberano. Calmo e religioso, mandou montar santuários que continham estátuas de diversos deuses a quem adorava, e abrandou o tratamento aos seguidores de Jesus Cristo, removendo algumas das severas leis que discriminavam os cristãos. Nomeou prefeito do suprimento de trigo e prefeito pretoriano Domitius Ulpianus, um jurista famoso nascido em Tiro, cuja maior parte de seus trabalhos foi escrita durante o reinado de Caracalla (212-217) e que viria a ser assassinado pela própria guarda pretoriana (224) por propor leis que limitassem o poder desses pretorianos. Casou-se com Barbia Orbiana (225) e exilada (227), por causa do envolvimento de seu pai com movimentos de insubordinação. Com a queda do império persa e a ascensão dos Sassânidas, dinastia que floresceu na Pérsia do século III ao VII, em substituição ao enfraquecido império arsácida, a fronteira do Oriente começou a correr perigo. Sob a liderança de Ardashir I, rei da Pérsia (224-241) e grande conquistador, fundador da dinastia sassânida que dominou o império persa até o ano em que foi derrotada pelos árabes (636), os persas invadiram a Mesopotâmia romana, antiga região do sudeste da Ásia compreendida entre os rios Tigre e Eufrates, onde floresceram as civilizações suméria, assíria e arcadiana (230), e ameaçaram a Síria. No contra-ataque (231-232), os romanos sob o comando de seu imperador, forçaram Ardashir I a se retirar. Porém agitações no Reno obrigaram o soberano voltar para Roma (233), de onde ele se dirigiu à fronteira germânica (234). Em virtude de divergências políticas entre ele e suas tropas, visto que ele preferia as negociações e suas tropas as lutas, perdeu o controle dos militares e foi assassinado pelos soldados em um motim em Moguntiacum (235), encerrando assim a Dinastia dos Severus.

http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/IRSevAlx.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário