Lucius Aelius Verus, Lúcio Aélio Vero (130 - 169)



 (161 - 169) nascido em Roma, adotado por Antonino Pio como um dos seus sucessores em virtude do compromisso assumido com seu antecessor:  o imperador Adriano anunciou (136) como sucessor Lúcio Cômodo, porém com a morte deste (138), Adriano escolheu Antonino para suceder-lhe, com o compromisso de adotar como filhos dois jovens: Lúcio Vero, filho de Cômodo, e Marco Aurélio Vero, que o imperador chamava de Veríssimo, ou muito confiável, um jogo de palavras com o sobrenome Verus. Filho de Lúcio Aélio César, passou a chamar-se Lucius Aelius Verus. Durante o reinado de Antonino Pio, foi colega de estudos de Marco Aurélio e tomou com este, parte nos conselhos do imperador. Praticante de esportes e admirador dos espetáculos de gladiadores, tornou-se cônsul pela primeira vez (154) e numa segunda oportunidade com Marco Aurélio (161). Com a morte de Antonino Pio (161), tornou-se co-imperador com Marco Aurélio, na primeira gestão colegiada. Por insistência de Marco, embora Lúcio fosse dez anos mais moço, o Senado concedeu a Lucius Verus o poder tribunício, o imperium proconsular e o título de augustus, elevando-o ao mesmo nível do irmão. Quando Antonino morreu, Marco já era cônsul pela terceira vez e Lúcio, pela segunda vez. Na primavera (162), foi para o Oriente para enfrentar a ameaça dos partos, e lá ficou até eliminá-la (165-166), após casar (164) com Lucilla, segunda filha do co-imperador e amigo. Voltou para Roma (166) e partiu para o norte com o sogro (168), passando o inverno em Aquiléia. No início do ano seguinte (169), quando se dirigia para a fronteira do norte, morreu de ataque cardíaco perto de Altino.

http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/IRLVerus.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário